Benefícios corporativos: quais são os mais procurados?

Homem e mulher olhando a tela do computador para avaliar os benefícios corporativos da Sem Parar Empresas

É fato que os benefícios corporativos são peças-chave na atração e retenção de talentos. O desafio, porém, é o RH se atualizar sobre as tendências do mercado para manter a competitividade e agradar os profissionais.

Compreender quais benefícios estão em alta não apenas aumenta a atratividade da empresa, mas também contribui para o bem-estar e satisfação dos colaboradores. Pensando nisso, vamos te ajudar no diagnóstico dos auxílios mais procurados e como montar um plano eficiente. 

 

Importância dos benefícios corporativos

Ao montar uma política de benefícios que seja de fato importante para o dia a dia dos colaboradores, a empresa demonstra empatia e reconhecimento pelo esforço de cada profissional. Isso gera inúmeras vantagens, como:

  • Aumento da produtividade, uma vez que os colaboradores se sentem valorizados pelo seu empenho e, portanto, sabem que sua dedicação será reconhecida;

  • Incentivo a uma vida saudável, seja por meio de auxílio alimentação, vale-academia, plano de saúde e até incentivo à cultura, pois os profissionais ganham maior acessibilidade a atividades que promovem saúde e bem-estar;

  • Maior engajamento, pois uma empresa que demonstra preocupação com seus colaboradores cria um clima organizacional harmônico;

  • Resultados cada vez mais positivos, afinal, os benefícios corporativos atraem e retém os melhores talentos, além de incentivar sua produtividade e engajamento. Essa soma resulta em sucesso na operação.

 

Os 4 benefícios corporativos mais procurados

Embora cada empresa possua um perfil diferente, existem alguns benefícios corporativos que são desejados pela grande maioria dos profissionais. Pensando nisso, separamos os mais comuns para manter sua companhia competitiva:

  1. Plano de saúde

    Segundo uma pesquisa da Robert Half, 77,8% dos trabalhadores enxergam o auxílio como o mais importante de todos. Sabendo que o plano de saúde nem sempre é viável, o RH pode buscar alternativas como o benefício de desconto em saúde, com diminuição no valor de consultas e exames aos colaboradores. O essencial, porém, é oferecer alguma forma de assistência médica.

  2. Vale-refeição e/ou vale-alimentação

    O VR é destinado a refeições no horário de trabalho, logo, o cartão é aceito em restaurantes e lanchonetes. Já o VA tem como finalidade subsidiar a compra de alimentos para preparo em casa, sendo destinado a supermercados e mercearias. O ideal é que a empresa ofereça flexibilidade para que o colaborador opte pelo tipo de auxílio que mais se encaixa no seu cotidiano. 

  3. Home office

    Segundo uma pesquisa do Datafolha, 52% dos brasileiros preferem o trabalho remoto, pois o modelo permite equilibrar melhor a vida profissional e pessoal, além de facilitar na concentração. Nesse sentido, a empresa pode apresentar a opção aos colaboradores e, nos casos de adesão, é fundamental oferecer auxílio home office para custos com energia elétrica e equipamentos. 

  4. Auxílio-educação

    Os profissionais desejam oportunidade de crescimento para que sejam valorizados. Por isso, empresas que oferecem programas de capacitação, treinamentos, desconto em cursos ou cartões flexíveis para uso educacional se destacam como organizações que dão espaço ao desenvolvimento pessoal.

 

Como montar o plano ideal de benefícios corporativos?

A primeira etapa é uma pesquisa detalhada sobre as tendências externas e preferências dos colaboradores. Com isso em mente, é possível montar um pacote estratégico seguindo o seguinte passo a passo:

  1. Alinhe orçamento e expectativas: sabendo quais são os benefícios mais desejados tanto pelos profissionais do mercado em geral, quanto pelos colaboradores internos, estude quais deles podem ser implementados de acordo com o orçamento destinado aos auxílios. Lembre-se: o teto deve estar pré-definido de acordo com a situação financeira da empresa.

  2. Priorize uma gestão prática: quanto mais benefícios, maior o trabalho de administração. Para facilitar, busque um mesmo fornecedor para todos os auxílios. Essa centralização transforma o que seriam diversas ferramentas de gestão em uma plataforma unificada.

  3. Defina e comunique os auxílios: após os estudos de viabilidade e escolha de benefícios, é chegado o momento de comunicar e educar os colaboradores quanto às suas usabilidades. Também é importante criar uma espécie de “manual” para a entrada de novos profissionais.

  4. Colete feedbacks: o papel do RH é garantir que os colaboradores se sintam bem na empresa. Sabendo que os benefícios corporativos têm grande impacto na satisfação dos profissionais, é fundamental avaliar os resultados da adesão e felicidade de cada pessoa, a fim de otimizar o plano sempre que possível.

💡Confira as melhores práticas para sua Gestão de Benefícios.

 

Torne sua empresa atrativa!

Em um mercado onde os talentos são disputados, tornar-se uma empresa atrativa vai além da oferta de salários competitivos. Investir em benefícios corporativos alinhados com as expectativas dos colaboradores destaca a organização e promove um ambiente de trabalho saudável.

Em resumo, entender e antecipar as necessidades dos colaboradores é a chave para o sucesso na criação de um programa de benefícios corporativos eficaz. Por isso, mantenha-se em dia sobre tendências e dicas de gestão para transformar sua empresa em uma central de talentos!

 

Centralize a gestão de benefícios corporativos! Clique e confira nosso guia de melhores práticas

Destaques

Síndrome de burnout: tudo o que você precisa saber sobre o tema
Sem Parar Empresas: Síndrome de burnout: tudo o que você precisa saber sobre o tema
8 - Junho - 2020

Síndrome de burnout: tudo o que você precisa saber sobre o tema

Trabalhar bastante, se preocupar com entregas e prazos, respeitar seus próprios limites e ainda lidar com o estresse do dia a dia — o que tu…

Receba nossa newsletter

Gestão de veículos